A rata é boa quando é fresca. Quando fede, mete nojo.

Thursday, March 29, 2007

Para quem se questiona sobre a verdadeira razão do assalto ao poder protagonizado por esse rabeta que é o Paulinho das bonecas, aqui fica uma achega:

Quando aqui há uns anos estalou o caso Moderna, o nosso Paulinho estava entalado até aos tomates. A coisa estava preta! Vai daí, conseguiu pôr um pé no governo do então (não menos animalzinho desprezível) Durão Barroso, forçando a posse da pasta da Justiça. Comandando esse ministério através do peão Celeste Cardona, o paulo lá se safou de todas as investigações que o poderiam entalar. A PJ sofreu grandes alterações, a Maria José Morgado foi afastada do que andava a fazer e tudo passou impune. Jogada de mestre, tem de se reconhecer.

Agora existe de novo matéria para meter o paulinho na gaiola.
O animalzinho não foi capaz de estar quieto e fartou-se de meter ao bolso (coisa estranha, uma vez que apregoava a moral e os bons costumes, fazendo passar-se como o Estadista que nunca foi. Um falso, portanto). Apanhou-se no ministério da Defesa e viu que ali é que é à grande! Com milhões e milhões para gerir à fartazana, cedo se esqueceu dos princípios que nunca teve. Blindados ,helicópteros, SUBMARINOS, mísseis, navios patrulhões, etc, etc, etc... É um rol de negócios em que ele meteu o bico. Esqueceu-se que nem todos andam a dormir e agora tem a Judite à perna. Ele sabe. Uns poucos sabem. Pena que o país não saiba.
Porque esta luta pelo poder, não é mais do que a tentativa desesperada para se manter à tona.
Pode ser que se foda.
Como no jogo da batalha naval "Submarino ao fundo..."

Sunday, March 11, 2007

Andei afastado das lides escabrosas, mas voltei com vontade de dizer mais umas barbaridades.
A começar, viva o Paulinho! O garoto é um verdadeiro mestre da punhalada por trás (aliás, por trás é coisa que ele domina na perfeição).
Há uns anos minou e fodeu a vida do amigo Manel. Agora segue-se o Ribeiro. O Paulinho está imparável!
Quanto aos negócios obscuros em que anda metido, é coisa pouca. Mais um milhão aqui, um tacho acolá, ajudado por jornais e TV, ele lá se vai safando.
É um gajo asqueroso, é verdade. O tipo de bicho a quem se enfia umas murraças na tromba com genuíno prazer. Mas enfim, ninguém se mexe assim se não estiver acompanhado. E as amizades deste animal, senhores, vão muuuuito á frente (dizem as más línguas que recebe ordenado da CIA, mas isso é outra história...).
Por isso, enquanto não se descoserem os que realmente sabem das coisas, ele lá se vai pavoneando à custa do povinho.
Hoje sinto-me realmente triste e sem esperança...

Monday, October 23, 2006


Volto à carga com notícias deste animal que dá pelo nome de Paulo Portas. Ou Paulinho das Bonecas, como era conhecido pela tropa (pela sua tendência para gostar de brincar com bonecas e namorar com bonecos).
Antes de ser político, atacava com todas as forças os que estavam no poder. No jornal, era uma fera a descobrir as podridões alheias.
Depois passou pela Moderna, e até hoje não ficaram esclarecidos os meandros dos seus negócios pouco honestos.
Acabou como ministro.
Dos mais patifes e corruptos que este país já viu.
Sabe quem dependia dele, que se amanhou com muitos milhões dos concursos de material militar. Essas coisas nunca vêm a lume, mas muita gente, nas esferas dos altos cargos militares, sabem da podridão que por lá grassava.
Era um autêntico Padrinho, um mafioso genuíno de colarinho branco. Esteve envolvido em tudo o que metia dinheiro para comprar armamento, recebendo luvas dos vendedores. Na maioria das vezes, prejudicando gravemente o Estado Português, que somos nós todos, os que pagamos impostos para estes animais nos andarem a foder por trás. Compra de submarinos, fabrico de navios de guerra, compra de helicópteros, compra de blindados, compra de mais navios de guerra, compra de armas ligeiras, compra de mísseis... Todos estes negócios levavam selo do Paulinho. Em todos estes negócios só interessava uma coisa: lucro pessoal.
Agora há pouco tempo, houve alguns tipos na Marinha que se entalaram com a PJ. Uns oficiais e um sargento. E um vendedor de misseis americano. Dos oficiais, um deles ficou preso. Está na cadeia militar de Tomar. É o elo mais fraco, o bode expiatório. O americano pagou a caução e foi embora para casa. E agora os meandros da coisa: esta história dos mísseis é uma de muitas que envolvem armamento pesado para as nossas Forças Armadas. A PJ já andava de
olho em cambalachos e negociatas há mais de 2 anos. E tudo culminou com a detenção destes senhores. Isto foi o que veio nas notícias. O que não vem nas notícias, é que as implicações vão até ao Paulo Portas, nos tempos em que ele ditava as regras do jogo. Ele está directamente envolvido, mas não se fala nisso. O que ele não suspeita, é que o americano da empresa que lhe pagou para meter cá os mísseis, está para dar com a boca no trombone e vai implicar toda a gente, desde simples funcionários até ministros e generais. Acho bem. Um está preso, mas é raia miúda. Os graúdos estão-se a safar. Entretanto, o animalzinho do Paulinho vai tirando dividendos dos negócios pro-americanos que andou fazendo enquanto era ministro. Porque toda a gente sabe que este gajo, tal como o amigo Durão, são vira-casacas dentro da União Europeia, e têm interesse em agradar aos amigos americanos.
Enquanto estes cabrões existirem, Portugal será sempre uma província a saque.

O que estes dois andaram a fazer no governo.

Wednesday, August 23, 2006

Tive uns problemas com a justiça mas tá quase resolvido. Um gajo trabalha no duro e se faz alguma merdinha tem logo a bófia à perna. A cambada do peixe graúdo, políticos corruptos, máfia da bola e toda a escumalha poderosa, fazem trinta por uma linha e nunca se fodem.
Isto tá a precisar duma revolução!

Friday, June 23, 2006

Este fim de semana vai haver festa no Bar da Ponte, nas Docas de Lisboa.
Não é uma festa qualquer, é uma festa de "Speed Dating". E o que é esta merda? Ora bem, isto consiste no seguinte: O pessoal inscreve-se numa agência de engates. Depois marca-se uma festa destas, em que as gajas estão todas sentadas numas mesinhas e os gajos andam de mesa em mesa a meter conversa com elas. Cada encontro dura 4 minutos. Uma universidade amaricana chegou à conclusão que bastam 4 minutos para se perceber se temos faísca com a febra ou não. Só podia ser uma cena amaricana, porque por cá, mesmo que a gaja seja um aborto, ao fim de umas horas e de um barril de imperial, todas as febras são boas. Mais expeditos são os russos, que dizem que não há gajas feias, o que há é falta de alcoól.
Seja como for, acho que se podia melhorar o sistema do "Speed Dating".
Imaginem que na sala há gajas boas e gajas que não interessam nem ao menino Jesus. Um gajo chega à vez de falar com uma dessas feiosas, e já sabe que vai estar ali a fazer frete, porque na verdade ninguém vai querer nada com ela (a não ser que a falta de sexo seja tanta, que um gajo em desespero se veja obrigado a papar uma aberração só para não calejar a mão).
Numa situação destas, o melhor a fazer era: o bacano grita em voz alta para todos ouvirem "Alguém quer alguma coisa com esta merda?!? Esta gaja e todas as feias que aqui estão, são uma perda de tempo, só queremos gajas boas! Se alguém quer algumas coisa com estas merdas feias, fiquem com elas, caso contrário, elas podem ir embora!"
E pronto, eliminava-se o que não interessa.
E não tenho nada contra as gajas feias. Muitas vezes, são as melhores fodas. Andam sedentas de sexo! Gramam tudo, até cú sem vaselina!
Mas num evento em que se quer qualidade, aventesmas devem ser excluídas.
Aqui fica a foto do meu último engate.

Graciete, de Alfama. A gaja é a beleza que se vê, mas foi uma doida no banco de trás do taxi. E acham que fui lá ao fim de 4 minutos? Foi preciso 5 canecas e 3 vodkas!

Friday, June 09, 2006


O governo português pôs à venda uma remessa de F-16.
Já sei o que vou dar à miúda no Natal.
Só espero que não faça às asas o que fez ao pára-choques do Renault...

Isto de estar separado tem os seus pontos altos.
Não estando agarrado a nenhuma garina a tempo inteiro, um gajo pode dar umas trincas em várias febras sem andar a encornar ninguém.
Ontem o dia não correu mal. Estava a ser cansativo, já tava farto de carregar tanto espanhol a caminho da Torre de Belém, ingleses ao Colombo pra fazer compras, japoneses a tudo o que é parque e jardim. Enfim, os camones invadem Lisboa e o taxista agradece. Mas cansa. Ainda por cima, a maioria deles tem a mania que é chico-esperto, sempre a fazerem de nós uns atrofiadinhos.
No fim do dia, levei uma alemã do aeroporto para o Chiado. Era uma gajinha nova, prái com uns 20 aninhos. Tinha um corpinho jeitoso, um GRANDE par de mamões e era engraçadita. Pelo caminho contou-me que estava no Erasmus, um programa de intercâmbio de estudantes. (No meu tempo de estudanrte tambem fiz intercâmbio - nas férias o meu pai mandou-me para as vindimas em França que me fodi).
Quando chegámos ao Chiado, depois de muita conversa e alguns olhares matreiros (a gaja estava mesmo a pedi-las), disse-me que não tinha dinheiro, se eu lhe podia perdoar a corrida.
- Darling, babe, não sou otário. Não tens dinheiro, pagas em géneros.
- ok.
E pronto, não foi preciso muito para a meter num quarto da pensão dum amigo meu na Praça da Figueira. Acho que ela já vinha a pensar em javardices.
A cama rangia, o soalho rangia, as paredes rangiam e a gaja gritava que se fartava. Demorei a vir-me com aquela barulheira toda.
Quando saímos da pensão já era noite. Descarreguei as malas do taxi e apontei-lhe o caminho.
- Agora vais a pé que te fodes. Só tens atravessar essas ruas e subir aquilo tudo. O Chiado é lá em cima. E prá próxima traz dinheiro.
A gaja esperneou mas não fiquei ali a ouvir merdas em alemão. Vim pra casa descansar.
O dia até nem correu mal.

Wednesday, June 07, 2006

O país respira futebol. Será?
Ou é mais uma campanha mediática para empanturrar o povo, enquanto se vai esquecendo o mundo real?
Eu gosto de bola. Gosto de ver e de jogar. Mas esta merda à volta da selecção já mete nojo.
Não haverá nada mais interessante para mostrar nas televisões?
Todo o santo dia temos de gramar os treinos, a sessão de autógrafos, a reportagem da lavandaria da equipa, o directo com a família dum amigo do primo do Pauleta, a história de como Scolari deu o nome ao seu cão, a entrega do troféu "Fair Play" ao Costinha no torneio de coxos do Cazaquistão...
QUE GRANDA SECA !!!
Façam jornalismo a sério, que o povo português não é todo analfabeto. Também há quem goste de ver outras coisas.
Agora vou ver os Morangos pra relaxar...